Um a cada cinco médicos de SP tem mais de 60 anos, faixa de risco do COVID-19


Luiz Fernando Toledo Da CNN Brasil, em São Paulo
22 de março de 2020 às 09:39
medicos

Vinte por cento dos médicos da cidade de São Paulo têm mais de 60 anos, faixa de idade mais atingida pelo novo coronavírus

Foto: Agência Brasil/ Reprodução

Vinte por cento dos médicos da cidade de São Paulo têm mais de 60 anos, faixa de idade mais atingida pelo novo coronavírus. Esse dado consta em um pedido de liminar movido pelo Ministério Público do Estado de São Paulo (MPSP) contra a prefeitura da capital e o estado, com a proposta de endurecer as medidas já adotadas de fechamento de estabelecimentos para evitar que o vírus se espalhe. Na Itália, 17 médicos já morreram por causa do vírus e há 3,6 mil profissionais da saúde infectados, de acordo com o Instituto Nacional de Saúde do país.

O documento do MPSP relata ainda a "fragilidade" do sistema de saúde público na maior capital do país. "Ordinariamente, os pacientes já aguardam vaga de UTI, por vários dias, nos prontos socorros. A cidade conta somente com 1.700 leitos de UTI e há carência de equipamentos básicos para atendimento de problemas respiratórios, mormente respiradores. O subfinanciamento na área de saúde levou a uma redução drástica do RH, com diminuição do número de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e fisioterapeutas."

Na quinta-feira (19), o Conselho Federal de Medicina (CFM) liberou o uso de telemedicina como forma de combate ao vírus e preservação dos profissionais. A decisão é temporária e vale "em caráter excepcional e enquanto durar o combate à epidemia do COVID-19", diz o órgão.

O documento que autoriza a medida cita expressamente a saúde dos profissionais de saúde como um dos motivos, "tendo por fundamento a necessidade de proteger tanto a saúde dos médicos, que estão na frente de combate dessa batalha, como a dos pacientes."