Desinformação atrasa distribuição de 19 mil testes rápidos para COVID-19


Daniel Adjuto
Por Daniel Adjuto, CNN  
23 de março de 2020 às 15:30
Testes de medicamentos contra o COVID-19 em um laboratório de Nova York

Testes de medicamentos contra o COVID-19 em um laboratório na cidade de Lake Success, em Nova York

Foto: Shannon Stapleton/Reuters


Mais de 19 mil testes rápidos para detecção do novo coronavírus ficaram presos no aeroporto de Viracopos, em Campinas, neste final de semana, por erro na declaração de importação.

As 4 cargas apresentaram divergência de peso na documentação apresentada no momento da armazenagem. Cabe ao importador regularizar a situação junto à Receita Federal, o que não ocorreu de pronto.

Uma das cargas chegou na quinta-feira e só foi liberada no domingo graças a atuação de auditores fiscais. Por conta própria, ao identificar que se tratavam de testes rápidos para a COVID-19, eles avisaram a empresa e solicitaram a imediata regularização das declarações para que os testes seguissem com urgência para o Rio de Janeiro. 

Outras 3 cargas, que chegaram no último sábado, só foram despachadas para os laboratórios cariocas hoje. Segundo auditores, representantes da importadora não sabiam que a Receita Federal funciona sem interrupções de horário todos os dias da semana.