Rio terá militares enfermeiros e central telefônica no combate ao coronavírus


Jairo Nascimento Da CNN, no Rio
24 de março de 2020 às 16:04
Enfermeiros militares ouvem orientações para vacinação contra a H1N1 no Rio

Militares enfermeiros ouvem orientações para vacinação contra a gripe H1N1 no Rio

Foto: Sergio Moraes - 24.mar.2020/Reuters

O Rio de Janeiro passará a contar com o reforço de 30 militares enfermeiros na capital e com uma central telefônica que funcionará 24 horas no estado como medidas de combate à pandemia do novo coronavírus (COVID-19).

Os militares enfermeiros foram disponibilizados pelo Comando Militar do Leste para a Prefeitura do Rio de Janeiro e se apresentaram para o prefeito Marcelo Crivella nesta terça-feira (24). O grupo é formado por militares do Exército, Marinha, Força Aérea e Cruz Vermelha. 

Os militares vão auxiliar com duas barracas de campanha num trabalho voltado à vacinação contra a gripe H1N1. O posto será montado no Riocentro, na zona oeste da cidade, com previsão de funcionamento entre 23 e 30 de março, das 10h às 17h. 

Neste local, a prefeitura montará um hospital de campanha que contará com serviço de drive-thru para vacinação de idosos. A proposta das autoridades é de imunizar parte da população contra outras doenças para dedicar os equipamentos de saúde principalmente para o atendimento dos pacientes com o novo coronavírus. 

Disque 160

O governo do estado do Rio, por sua vez, anunciou a criação de uma central telefônica para atendimento sobre a COVID-19. O serviço funcionará pelo número 160, 24 horas por dia. A ideia é evitar que pacientes com sintomas da doença procurem desnecessariamente as unidades de saúde. O serviço é gratuito e tem capacidade de 30 mil atendimentos.

O secretário estadual de saúde, Edmar Santos, disse que “a central é importantíssima nesse momento e servirá para esclarecer dúvidas dos profissionais de saúde e indicar quais pacientes devem procurar atendimento. Além disso, a central funcionará ainda como mais um canal de combate às fake news."