Pesquisadores preveem 11.500 casos de coronavírus no Brasil até a próxima semana


Da CNN em São Paulo
26 de março de 2020 às 09:21


Uma projeção realizada pelo Núcleo de Operações e Inteligência em Saúde (NOIS), da PUC-Rio, avalia, considerando o pior cenário, que até o fim de março o Brasil vai registrar até 11.500 casos do novo coronavírus. Segundo pesquisadores, desrespeitar as medidas de isolamento é fazer com que esse número cresça ainda mais.

O registro do avanço, considerado lento pelos cientistas, se deve à falta de testes disponíveis para identificação, à demora na confirmação dos casos e à subnotificação de pessoas que apresentam sintomas, mas que não constam entre os casos confirmados de coronavírus no país. 

Em entrevista à CNN, o professor de engenharia da PUC-Rio e membro do NOIS, Silvio Hamache, afirmou que o estudo é baseado no comportamento de outros países no mesmo período de pandemia. "Nos baseamos em países como China, Coreia, Italia, Estados Unidos, Alemanha e Espanha. Se o Brasil fosse um desses países registraria, no pior cenário, 11.500 casos", argumentou. 

Questionado sobre a eficácia das medidas restritivas, Hamuche considera mais eficaz o isolamento total.  "Nos lugares onde teve isolamento completo, as medidas foram efetivas. Na Itália, por exemplo, o isolamento total foi tardio. Os dados de outros paúses mostram claramente que o distanciamento total funciona muito bem e ele deve ser respeitado", reforçou.