Anvisa libera pesquisa com hidroxicloroquina contra o novo coronavírus

Agência regulatória brasileira autorizou o Hospital Albert Einstein a avançar nas pesquisas com o remédio contra o COVID-19

Da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 10:20
Em videoconferência dos líderes do G20, Bolsonaro exibiu caixa de Reuquinol, remédio cujo princípio ativo é a hidroxicloroquina
Foto: Marcos Corrêa - 26.mar.2020/ PR

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) liberou na quinta-feira (26) a pesquisa com a hidroxicloroquina para o tratamento da COVID-19, doença causada pelo novo coronavírus.

“A licença permite ao Hospital Albert Einstein avançar nas pesquisas em busca da cura da doença, com segurança e rapidez”, disse a agência. Segundo a Anvisa, o Brasil é um dos maiores produtores mundiais de hidroxicloroquina.

A informação foi divulgada no Twitter pelo presidente Jair Bolsonaro e confirmada, minutos depois, pela própria Anvisa. 

“O objetivo é que pacientes, em breve, se beneficiem desse tratamento para a COVID-19", escreveu o presidente.

“Temos informações precisas de que a Cloroquina tem sido usada pelo Brasil com uma grande taxa de sucesso. O remédio existe, apenas se aguardavam as formalidades para seu uso legal”, completou o presidente em uma segunda mensagem na rede social na qual parabenizou a Anvisa pela "presteza na liberação do registro".