Pangolim pode ser a espécie que levou coronavírus aos humanos, aponta estudo

Mamífero ameaçado de extinção pode ter sido hospedeiro intermediário do vírus

Cecília do Lago Da CNN, em São Paulo
27 de março de 2020 às 18:37 | Atualizado 27 de março de 2020 às 19:57
Pangolim (Manis javanica)
Pangolim (Manis javanica)
Foto: Piekfrosch/Wikimedia Commons
 
A pandemia de coronavírus que ganhou escala no mercado de Wuhan, na China, e contaminou todos os continentes do planeta pode ter começado a partir de um pequeno mamífero de hábito noturno: o pangolim.

Ele pode ter servido de hospedeiro intermediário, já que o coronavírus não conseguiria fazer o salto adaptativo direto dos morcegos para os humanos. Precisaria de uma espécie para se recombinar, sofrer mutações e a partir daí poder infectar humanos. É o que mostra um estudo publicado na revista "Nature" ontem, feito por pesquisadores da Universidade de Hong Kong.

Outros estudos no mês passado já indicavam uma associação entre os pangolins e o coronavírus, mas este estabeleceu uma correspondência genética entre o vírus que já matou 23 mil pessoas ao redor do mundo desde o início da pandemia e outros tipos de coronavírus encontrados no animal. Os cientistas identificaram a relação bastante próxima entre os vírus em espécimes apreendidos em uma operação contra o tráfico de animais no Sudeste Asiático. A proximidade do genoma está entre 85% e 92%.

Além disso, há um rastro genético de suscetíveis mutações que liga os coronavírus dos pangolins, dos morcegos e dos humanos.

O sequenciamento genético associou duas linhagens de coronavírus do pangolim ao nosso coronavírus. "A descoberta de múltiplas linhagens de coronavírus e suas similaridades ao SARS-CoV-2 (vírus da pandemia) sugere que os pangolins devem ser considerados possíveis hospedeiros e devem ser removidos dos mercados de animais silvestres para prevenir a transmissão de animais para humanos", conclui a publicação.

O primeiro surto em Wuhan aconteceu no setor de frutos do mar do mercado, que  vende animais domésticos vivos e também animais silvestres. As autoridades sanitárias da China tentaram localizar a origem da transmissão, mas com o bloqueio do mercado não tiveram sucesso, o que dificulta a descoberta da origem da pandemia.

O pangolim (Manis javanica) é típico das florestas da Malásia. A espécie está ameaçada de extinção e é uma das mais traficadas da Ásia, sua carne é considerada uma iguaria e as escamas são usadas na medicina tradicional asiática e africana.