MP-SP apura se hospital Sancta Maggiore omitiu notificação de coronavírus

Débora Freitas e Matheus Caselato Da CNN, em São Paulo
30 de março de 2020 às 19:07 | Atualizado 30 de março de 2020 às 22:34

O Ministério Público de São Paulo abriu investigação criminal para apurar eventual omissão de notificação de casos suspeitos do novo coronavírus pelo hospital Sancta Maggiore às autoridades de saúde. 

Pelo menos cinco pessoas morreram em decorrência da doença entre 17 e 19 de março em uma das unidades da rede. De acordo com o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, os casos só foram notificados depois das mortes. 

O protocolo da Secretaria inclui notificação compulsória dos pacientes diagnosticados com a doença para que seja possível monitorar as pessoas que tiveram contato com eles.

O procedimento foi aberto pelo Ministério Público na última sexta-feira (27). A promotoria pediu cópia do relatório produzido após inspeção no hospital feita pela Vigilância Epidemiológica de São Paulo. O hospital Sancta Maggiore tem dez dias para apresentar dados dos pacientes com COVID-19 desde novembro de 2019, dados dos médicos que trataram desses pacientes e certidão de óbito dos que morreram em decorrência da doença. Os familiares das vítimas também serão ouvidos. 

O hospital particular pertence à rede de planos de saúde para pessoas idosas Prevent Senior. Em nota, a operadora informou que não foi notificada sobre o procedimento, mas que prestará todas as informações ao Ministério Público. O texto diz ainda que a operadora acredita que as investigações serão uma excelente oportunidade para esclarecer inverdades pronunciadas pelo secretário municipal da Saúde nas últimas semanas.