Mandetta diz que espera ser demitido ainda nesta semana e mais de 15 de abril

Contrato Verde e Amarelo, pico da pandemia no Brasil e outras notícias desta quarta-feira

Da CNN em São Paulo
15 de abril de 2020 às 07:18 | Atualizado 15 de abril de 2020 às 07:29

A possível saída do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do cargo, a aprovação do contrato de trabalho Verde e Amarelo pela Câmara, a nova previsão do pico da pandemia no país, a análise do STF sobre a autonomia dos estados nas medidas restritivas e a suspensão do financiamento para a Organização Mundial da Saúde (OMS) feita pelos Estados Undos são os destaques de 15 de abril de 2020.

Mandetta

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, avisou a membros da sua equipe que sua demissão virá ainda nesta semana. Seu afastamento ganha contornos definidos no momento em que a quantidade de mortos por COVID-19 passa dos 200 em um dia e já alcança todos os estados.

Contrato Verde e Amarelo

A Câmara dos Deputados aprovou, por 322 votos a 153, uma emenda da Medida Provisória (MP) 905, conhecida como MP do Contrato Verde e Amarelo. O texto teve itens polêmicos retirados do relatório original, como trabalho aos domingos para todos os setores da economia. A MP foi editada com o intuito de incentivar a contratação de jovens de 18 a 29 anos, mas prevê o corte de alguns direitos trabalhistas. A votação na Câmara teve momentos de embate virtual entre os deputados. “Nós estamos começando a nos arrepender de ter aceitado esse sistema de votação remoto”, alegou um dos deputados contrários à MP.

Pico da pandemia

O Ministério da Saúde anunciou uma nova previsão para o pico da epidemia do novo coronavírus no Brasil. Em e-mail enviado à CNN, a pasta declarou que a doença deve atingir o maior número de casos entre maio e agosto. O novo prognóstico vem no momento em que o estado do Tocantins confirmou a primeira morte pela doença, na noite desta terça-feira (14). Agora todos os estados do Brasil possuem registros de vítimas por COVID-19.

STF

A autonomia dos estados e municípios para executar medidas de restrição de mobilidade e fechamento de serviços será analisada novamente pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (15). O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) havia publicado a Medida Provisória (MP) 926, que atribui à Presidência da República a centralização dessas prerrogativas, mas os ministros Marco Aurélio de Mello e Alexandre de Moraes suspenderam os efeitos da medida. O STF realizará uma sessão plenária por videoconferência, pela primeira vez em sua história.

Trump e OMS

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira (14) a suspensão do financiamento para a Organização Mundial da Saúde (OMS), até que uma revisão seja realizada. Trump afirma que a entidade não alertou o mundo a tempo de fecharem as fronteiras com a China, o que, segundo ele, "causou muitas mortes".