Amazonas tem 76 médicos infectados e 3 mortos por COVID-19

De acordo com o sindicato local, profissionais são expostos à doença por trabalharem em diversos locais, às vezes sem dispor de equipamento de proteção

Daniel Motta, da CNN
28 de abril de 2020 às 21:22
Profissional de saúde prepara leito em hospital provisório em Manaus (AM) durante pandemia de coronavírus
Foto: Bruno Kelly/Reuters

Setenta e seis médicos do Amazonas estão contaminados com a COVID-19, segundo dados da Fundação de Vigilância em Saúde do estado divulgados nesta terça-feira (28). A Fundação contabiliza três mortes de profissionais, mas, segundo levantamento do Simeam (Sindicato dos Médicos do Amazonas), houve quatro vítimas.

Ao incluir enfermeiros e técnicos na relação, há 506 casos confirmados e 11 mortos em decorrência da doença.

De acordo com o Simeam, o número de profissionais mortos por COVID-19 no estado também é maior do que os dados apresentados pela secretaria de saúde do Estado.

“São 16 profissionais da saúde mortos por COVID-19, quatro médicos. O número de profissionais acaba aumentando porque eles trabalham em vários plantões em diferentes hospitais e acabam se contaminado e até sendo transmissores da doença. Em muitos casos eles não dispõem de EPIs (equipamentos de proteção individual)”, diz o Simeam.

Leia também:

'Sistema de saúde já colapsou', diz prefeito de Manaus

Em nota à CNN, A Susam (Secretaria de Saúde do Amazonas) negou a falta de equipamentos de proteção individual para os funcionários da saúde.

“O governo do Amazonas conta com estoque de todos os equipamentos preconizados pelo Ministério da Saúde para serem utilizados pelos profissionais que estão na linha de frente do combate à COVID-19”, rebateu.

“Aos profissionais da saúde são disponibilizados testes rápidos de COVID-19, através de agendamento por aplicativo e por meio do sistema drive-thru. O objetivo é agilizar o diagnóstico dos profissionais e afastá-los durante o período de sintomas, evitando a contaminação de pacientes e permitindo o monitoramento do quadro para evitar o agravamento e prevenir o óbito”, informou o órgão.

Nesta terça-feira, o Amazonas registrou mais 409 casos e 31 mortes pela COVID-19, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde local. Ao todo, o estado tem 4.337 pacientes e 351 mortes pela doença.

São Paulo

O último levantamento da SES (Secretaria Estadual de Saúde) de São Paulo mostra que 2.573 profissionais de saúde estão afastados por suspeita ou confirmação de COVID-19.

Segundo a secretaria, desse total, 82 já retornaram às suas atividades. A SES não faz um levantamento por função dos profissionais.