Substância altamente inflamável de álcool em gel pode gerar chama invisível

Corpo de Bombeiros registrou um número maior de acidentes e incêndios domésticos em comparação ao mesmo período de 2019

Da CNN, em São Paulo
09 de maio de 2020 às 14:11 | Atualizado 09 de maio de 2020 às 16:45
 

O álcool em gel é uma das substâncias recomendadas para combater o avanço da pandemia da Covid-19. Não é à toa, portanto, que o produto praticamente se esgotou nos mercados e farmácias brasileiras no início da quarentena. No entanto, é preciso tomar cuidado com o uso do álcool em gel, por se tratar de um líquido altamente inflamável e que provoca uma chama é invisível.

O Capitão do Corpo de Bombeiros, Marcos Palumbo, falou à CNN sobre os perigos da substância e deu dicas sobre a melhor maneira de usá-la com segurança. 

Segundo Palumbo, o Corpo de Bombeiros registrou em março deste ano, em comparação ao mesmo período de 2019, um aumento no número de incêndios em residências. Ele ressalta que, em algumas das ocorrências, foi citado o uso do álcool, seja em gel ou líquido, e informa um cuidado básico: após aplicar a substância, é preciso esperar um tempo para que ela evapore.

“A viscosidade do álcool em gel faz com que ele tenha uma evaporação mais lenta, e no momento em que se aplica há uma superfície inflamável no entorno das mãos, quando está em fase líquida. E esse é o resultado que você precisa para que aconteça a antissepsia. A evaporação mais lenta, vai fazer a extinção do vírus [nas mãos]. É preciso cuidado, porque neste momento, não podemos encostar em nenhuma fonte de calor”, explica.

Portanto, assim que se aplica o álcool em gel nas mãos, e elas ainda estão com o aspecto molhado, é preciso ficar afastado do fogão, da churrasqueira e do cigarro, por exemplo, a fim de evitar o alto risco de queimaduras. O resultado pode ser grave, causar lesão e fazer com que as pessoas fiquem hospitalizadas. Somente em abril de 2020, o Corpo de Bombeiros atendeu à 10 mil pessoasvítimas de todos os tipos de acidentes.

O capitão chama a atenção para a característica invisível da chama.“O álcool em contato com o oxigênio faz uma queima quase que completa. As pessoas não enxergam a chama, e só vão perceber na hora que se queimarem”.