Teich lamenta 10.000 mortes por Covid-19 e diz ser solidário a mães

Neste domingo, o Brasil chegou a 11.123 vítimas fatais de Covid-19. Mais de 160 mil brasileiros foram diagnosticados com a doença

Da CNN, em São Paulo
10 de maio de 2020 às 20:48 | Atualizado 10 de maio de 2020 às 20:48
O ministro da Saúde, Nelson Teich 
Foto: José Dias/PR (28.abr.2020)

O ministro da Saúde, Nelson Teich, lamentou neste domingo (10) o fato de o Brasil ter ultrapassado a marca de 10.000 mortes por Covid-19 e manifestou solidariedade às mães que perderam filhos.

O Brasil registrou 496 mortes por Covid-19 entre sábado (9) e domingo (10), informou o Ministério da Saúde. O total de vítimas fatais da doença chegou a 11.123. Em 24 horas, foram contabilizadas mais 6.760 pessoas infectadas com o novo coronavírus, totalizando 162.699 casos confirmados no país.

"Hoje é um dia marcado por sentimentos muito distintos. O sentimento especial do dia das mães, e o sentimento que reflete o sofrimento e a tristeza das mais de 10.000 mortes causadas pela Covid-19", disse. "Aqui vai minha solidariedade e o meu carinho àquelas mães que perderam seus filhos ou filhas, àquelas que têm seus filhos na linha de frente e que têm angústia, medo do que pode acontecer com eles. Aos filhos que perderam as mães, porque certamente mães foram perdidas nesse caminho."

Segundo o ministro, o governo trabalha "sem parar" para que o Brasil passe pela pandemia "com o menor número possível de vidas perdidas."

O tom adotado pelo ministro foi diferente do adotado em diversas ocasiões por seu chefe, o presidente Jair Bolsonaro, ao se referir à pandemia e suas vítimas.

Bolsonaro já se referiu à Covid-19 como uma "gripezinha" e, no dia em que o Brasil passou a China em total de mortes pela doença, afirmou que não tinha o que fazer sobre as mortes.

"E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", disse na ocasião.

Ontem, no dia em que o Brasil passou de 10.000 mortos por Covid-19, Bolsonaro fez um passeio de jet ski no lago Paranoá, em Brasília, mostram vídeos obtidos pelo site Metrópoles.

Líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), classificou o passeio do presidente como "cena de desdém macabro".

Também no sábado, o Congresso e o STF (Supremo Tribunal Federal) decretaram luto oficial de três dias por causa do número de vítimas da doença no país.

No fim da noite de sábado, Bolsonaro postou em sua conta no Twitter um vídeo no qual questiona a imprensa e exalta ações do governo federal no combate ao coronavírus.