Diretor da OPAS sobre a cloroquina: não há nenhuma evidência de eficácia


Da CNN, em São Paulo
15 de maio de 2020 às 20:32

Em entrevista à CNN na noite desta sexta-feira (15), Jarbas Barbosa, médico sanitarista e diretor-assistente da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), afirmou que, neste momento, ainda não há evidências de eficácia de nenhum medicamento para tratar pacientes diagnosticados com o novo coronavírus.

“Para a sociedade científica de todo o mundo fazer uma recomendação de uso de um medicamento é preciso ter uma segurança. Precisamos de mais estudos e esperamos que em breve tenhamos resultados definitivos”, disse. 

Sobre a utilização da hidroxicloroquina em pacientes que testaram positivo para a doença, Jarbas foi claro ao esclarecer a diferença entre autorizar e recomendar.

“Quando você autoriza, diz ‘pode usar’. Quando recomenda, diz ‘deve usar’. A cloroquina e a hidroxicloroquina para a Covid-19 são considerados medicamentos experimentais. Portanto, o que o Conselho Federal de Medicina fez foi [permitir com que] o médico, ao decidir fazer seu uso, explique para a família e para o paciente que é um medicamento experimental, além de esclarecer seus riscos e manter o paciente em monitoramento”.

Leia também:

Quem é a médica defensora da hidroxicloroquina que se reuniu com Bolsonaro

Solução contra a Covid-19 pode ser coquetel de medicamentos, diz infectologista

Após 29 dias no cargo, Nelson Teich pede demissão do Ministério da Saúde

O que não pode acontecer, segundo ele, é a distribuição em massa do medicamento e sem prescrição médica.

Coronavírus no Brasil

De acordo com Barbosa, o mundo enxerga hoje o Brasil com muita preocupação e a tendência é que haja um crescimento no número de casos da doença na América do Sul. 

Para ele, é preciso buscar maneiras de como aumentar a adesão das pessoas às medidas de distanciamento social, além do governo ampliar o apoio socioeconômico para que as famílias menos favorecidas consigam aderir ao isolamento.