Visons infectaram dois humanos com novo coronavírus, diz governo da Holanda

Caso aconteceu em criadouro do bichinho, que é da mesma família do furão e da doninha

Reuters
25 de maio de 2020 às 15:27
Um vison em um galho na vila de Khatenchitsy, em Belarus
Foto: Vasily Fedosenko/Reuters (15.set.2015)

Visons portadores do novo coronavírus infectaram duas pessoas na Holanda, provavelmente os primeiros casos de transmissão entre humanos e animais no país, disseram o governo e autoridades de saúde holandeses nesta segunda-feira (25).

Visons contaminados com o vírus foram encontrados em quatro dos 155 criadouros do país, disse a ministra da Agricultura, Carola Schouten, em uma carta ao Parlamento que detalhou os dois casos. O animal, da mesma família da doninha e do furão, é criado principalmente para a extração de sua pelagem.

Schouten disse que o risco de tal transmissão de animal para humano do vírus fora dos criadouros é "insignificante".

Em três dos quatro animais infectados, descobriu-se que a fonte de infecção foi um humano doente, e o quarto ainda está sendo investigado, disse a ministra.

Leia também:

Estudo diz que gatos domésticos podem ser infectados pelo novo coronavírus

Tigresa testa positivo para coronavírus em zoológico de Nova York

O diretor do Instituto de Saúde holandês, Jaap van Dissel, disse que, embora alguns felinos e outros animais tenham sido infectados com Covid-19 por humanos, as transmissões de vison para humanos na Holanda são praticamente únicas.

"Esta é a primeira vez que encontramos, ao menos que mostramos que é provável, que em dois casos a infecção tenha sido do animal para o humano", disse ele em um depoimento ao Parlamento nesta segunda.

"É claro que a fonte original da infecção na China muito provavelmente também foram animais."

Uma lei que proíbe a criação de visons na Holanda foi aprovada em 2013, e os criadouros restantes devem encerrar as operações até 2023.