David Uip: dados são fundamentais para combater a pandemia

Segundo o infectologista, ao que tudo indica, a cidade de São Paulo atingiu o platô

Da CNN
08 de junho de 2020 às 22:53 | Atualizado 08 de junho de 2020 às 23:21

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (8), o infectologista David Uip, que recentemente retornou ao seu trabalho no Centro de Contingência de combate ao novo coronavírus em São Paulo, afirmou que os dados são fundamentais para combater a pandemia.

Questionado se confia nos números divulgados pelo Ministério da Saúde, Uip explicou que a pasta é responsável por computar e divulgar os dados que são oferecidos pelos estados.

"Isso é fundamental para quem lida com gestão de epidemia. Sem dados, você não pode fazer gestão do número de leitos, de leitos de UTI e nem planejar qualquer tipo de flexibilização", afirmou. 

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), órgão que reúne os secretários de saúde dos 26 estados e do Distrito Federal, lançou neste domingo (7) uma plataforma para a divulgação dos dados da Covid-19 informados pelos estados, os mesmos que são repassados diariamente para o Ministério da Saúde.

O governo federal, no entanto, passou a desde a última sexta-feira (5) a fazer apenas a divulgação das atualizações diárias, sem a divulgação dos números totais.

Assista e leia também:

SP tem 43 mortes por Covid-19 em 24 horas, menor registro desde abril

Governo diz que nova forma de divulgação de dados da Covid-19 é 'mais amigável'

O médico falou também que espero que São Paulo esteja “naquelas semanas de estabilidade para depois começar o decréscimo do número de casos”.

“Têm alguns estados que estão na frente da epidemia, na frente no sentido de talvez chegou em seu ponto de estabilidade. Especialmente os estados do norte e nordeste”, disse.

Segundo ele, tudo indica que pelo número de novos infectados, pela transmissibilidade e pela demanda de leitos de UTI e enfermaria a cidade de São Paulo atingiu o platô. “Há uma pressão menor sobre o sistema [de saúde]”, afirmou.

Em contrapartida, o vírus está se interiorizando - aumentou o número de casos nos municípios. “A epidemia no interior está cerca de duas a três semanas atrasada em relação a área metropolitana de São Paulo”, falou.

Situação no país

O Ministério da Saúde divulgou hoje que 679 pessoas morreram vítimas da Covid-19 nas últimas 24 horas. O número é igual ao informado pelo Conass.

Diferentemente do governo federal, o Conass faz também a divulgação dos números totais da doença no Brasil. Segundo o portal mantido pelos estados, são 37.134 mortes e 707.412 casos confirmados da Covid-19 no país. Dos mais de 700 mil casos, 15.654 foram confirmados em um período de um dia.

De acordo com a divulgação do Conass, São Paulo é o estado com o maior número de casos, são 144.593 registros e 9.188 mortes. O Ministério da Saúde, que não dá os dados totais, apenas a oscilação diária, informa que o estado registrou 1.520 diagnósticos e 43 novas mortes.

(Edição: André Rigue)