País ainda tenta diminuir o crescimento da pandemia, alerta professor da USP

Médico e professor de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Gonzalo Vecina Neto diz que a pandemia ainda não está controlada e nem diminuindo no Brasil

Da CNN, em São Paulo
23 de junho de 2020 às 23:31

No dia em que o Brasil anunciou mais 39,4 mil novos casos de Covid-19 e o total de 1,14 milhão, e com diversas cidades pelo país voltando atrás nas decisões de iniciar a reabertura da economia, a CNN entrevistou o médico e professor de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, Gonzalo Vecina Neto, para entender em que ponto o país se encontra na pandemia.

Segundo médico, o Brasil “não foi capaz de conter a pandemia” e o momento não é de se pensar em reabrir, mas sim de retomar as medidas de isolamento social. “São Paulo está chegando no platô da pandemia, porém o restante do país ainda está diminuindo o crescimento da pandemia. Nesta semana deve sair o resultado da pesquisa do Ibope e se espera que algo em torno de 10% da população já esteja contaminada, em torno de 1,1 milhão de pessoas.”

Leia também

Diretor do Instituto Butantan diz estar otimista com vacina até fim do ano

Voluntários brasileiros começam exames para receber testes de vacina de Oxford

Corticoide pode ser 'solução' em casos graves da Covid-19, diz imunologista

Ele ainda ressalta que o estado deveria investir mais em testagem e controle de pessoas que tiveram contato com infectados para então pensar em controlar a pandemia. “O estado deveria testar todo paciente com sintomas e depois testar mais 5 pessoas que estiveram contato com eles e assim por diante, isolando quem testar positivo.”

Vecina também se voltou para a questão das pesquisas para encontrar um remédio contra a Covid-19, e disse que “o Brasil não está jogando o jogo das vacinas, e que “se não decidirmos agora fazer o investimento de risco, iremos ficar 5 meses a mais sem um medicamento.”

(Edição: André Rigue)