OMS registra recorde global de novos casos pelo segundo dia consecutivo

Houve 259.848 confirmações em 24 horas; Brasil está na lista de países com maiores aumentos registrados neste sábado

Lisa Shumaker, da Reuters
18 de julho de 2020 às 19:39 | Atualizado 18 de julho de 2020 às 19:45
Paciente com coronavírus é tratado em hospital em Manaus (AM)
Foto: Bruno Kelly - 03.jun.2020/Reuters

A Organização Mundial da Saúde (OMS) registrou um aumento recorde de casos do novo coronavírus em todo o mundo pelo segundo dia consecutivo, com 259.848 confirmações em 24 horas.

Os maiores aumentos registrados neste sábado (18) foram nos Estados Unidos, Brasil, Índia e África do Sul, segundo relatório diário. O recorde anterior da OMS para novos casos era de 237.743, de sexta-feira (17). O número cresceu 7.360, a maior alta em um dia desde 10 de maio. A média diária de mortes no mês de julho é de 4,8 mil, acima da médica de junho, de 4,6 mil.

O número global de casos de Covid-19 ultrapassou os 14 milhões na sexta-feira, segundo relatório da Reuters, outro marco na disseminação da doença, que matou quase 600 mil pessoas em sete meses. O aumento significa que 1 milhão de casos foram confirmados em menos de 100 horas.

Leia também:

Brasil confirma mais 28 mil casos e 921 mortes por Covid-19

Hospital das Clínicas investiga possíveis casos de reinfecção por coronavírus

Estados Unidos autorizam laboratório a fazer testes em grupo para Covid-19

A OMS registrou 71.484 novos casos nos Estados Unidos, 45.403 no Brasil, 34.884 na Índia e 13.373 na África do Sul.

Na sexta-feira, a Índia se tornou o terceiro país do mundo a registrar mais de um milhão de casos do novo coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos e do Brasil. Epidemiologistas afirmam que, provavelmente, o país ainda está longe de atingir o pico de infectados.

Os casos no Brasil ultrapassaram a marca de 2 milhões na quinta-feira (16), dobrando em menos de um mês e com o número de casos novos aumentando quase 40 mil a cada dia. A diferença nas respostas dadas por estados e municípios tem gerado consequências para o Brasil durante a pandemia, com a ausência de uma política coordenada pelo governo federal.

Os Estados Unidos, que lideram o mundo com mais de 3,7 milhões de casos, também tentaram conter a doença nos níveis estadual e municipal, produzindo limitados resultados positivos.