Todas as fases de testes da Pfizer e da BioNtech serão simultâneas, diz Anvisa

Gustavo Mendes, gerente geral de medicamentos da agência, explicou que as fases um, dois e três dos testes devem começar em até 15 dias

Da CNN, em São Paulo
21 de julho de 2020 às 18:23 | Atualizado 21 de julho de 2020 às 18:26

 

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que as farmacêuticas Pfizer e BioNtech realizem ensaios clínicos de vacina contra a Covid-19 no Brasil, afirmou à CNN o gerente geral de medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes. Ele explicou que as fases um, dois e três dos testes das vacinas ocorrerão ao mesmo tempo.

“A ideia é que todas as fases aconteçam ao mesmo tempo. Realizamos testes in vitro que comprovam que podemos realizar as fases ao mesmo tempo sem afetar a segurança. No sentido de acelerar o desenvolvimento das vacinas, várias outras agências sanitárias do mundo estão realizando as três fases de teste ao mesmo tempo.”

Leia também

Moderna e Merck dizem que pretendem lucrar com vacinas contra coronavírus

Ações da Synairgen sobem 450% com remédio promissor para a Covid-19

É preciso sinal de eficácia para distribuir a vacina, diz pesquisador de Oxford

Ele explica que os testes das duas vacinas devem começar em até 15 dias, e que ao longo do processo de análise a Anvisa irá colher dados. Caso haja indícios de riscos aos voluntários, os testes serão paralisados.

Sobre a vantagem estratégica de o Brasil estar realizando diversos testes de vacinas contra a Covid-19, Gustavo diz que, além de maior agilidade para obter os medicamentos após comprovação de eficácia, o país ganha também credibilidade científica. “As vantagens de se fazer testes no Brasil é ter reconhecimento internacional da capacidade científica do país e de sua agência reguladora.”

Gustavo Mendes, gerente geral de medicamentos da Anvisa em entrevista para a CNN (21.jul.2020)
Foto: CNN Brasil


 (Edição: Paulo Toledo Piza).