Correspondente Médico: Como manter o equilíbrio em situação de desemprego?

Fernando Gomes falou sobre o impacto do desemprego no cérebro

Da CNN
28 de julho de 2020 às 08:51 | Atualizado 28 de julho de 2020 às 09:05

O Ministério da Economia divulga nesta terça-feira (28) o resultado de junho do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados. É um balanço dos postos de trabalho no país. Em maio, o Brasil fechou quase 332 mil vagas. Foi o pior resultado para o mês desde 2010.

Na edição desta terça, do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes falou sobre como manter o equlíbrio entre corpo e mente ao enfrentar uma situação de desemprego.

Leia também:

Não acho possível fazer um grande ajuste fiscal por agora, diz Armínio Fraga

O Brasil liberal de Paulo Guedes está só no papel, dizem especialistas

"A gente precisa alinhar o funcionamento dos lobos frontais, que são responsáveis pela consciência e a situação atual do indivíduo. Ao iniciar um planejamento com metas, por exemplo, você pode encontrar outras alternativas para sair desta realidade.", iniciou.

O médico ressalta ainda a importância de se sentir útil. De acordo com ele, isso muda o comportamento do indivíduo. 

"Cada parte do nosso corpo tem uma função para que tudo continue operando conforme o esperado. A sensação e a necessidade da gente entender que temos uma função também é essencial. Por um lado temos o ganho financeiro e, por outro, a importância de sentir necessário", finalizou o neurocirurgião.

(Edição: Sinara Peixoto)