Johnson & Johnson inicia testes de candidata a vacina em humanos


Da CNN
30 de julho de 2020 às 11:02 | Atualizado 30 de julho de 2020 às 11:03
Logo da Johnson & Johnson na Bolsa de Valores de Nova York

Logo da Johnson & Johnson na Bolsa de Valores de Nova York

Foto: Brendan McDermid - 17.set.2019 / Reuters

A Johnson & Johnson iniciou nesta quinta-feira (29), nos Estados Unidos, os testes de segurança de sua vacina contra a Covid-19 em humanos, depois de divulgar detalhes de um estudo com macacos, mostrando que a substância ofereceu uma proteção forte com uma única dose.

Quando expostos ao vírus, todos os seis animais que receberam a candidata a vacina ficaram completamente protegidos de doenças pulmonares, e cinco deles, protegidos de infecções, tal como verificado pela presença do vírus em amostras nasais, de acordo com o estudo publicado pela revista científica Nature.

"Isso nos faz acreditar que podemos testar uma vacina de dose única nesta epidemia e aprender se ela tem um efeito protetor em humanos", disse o médico Paul Stoffels, principal autoridade científica da J&J.

A farmacêutica disse que iniciou testes de estágio inicial em humanos nos EUA e na Bélgica e que testará sua candidata a vacina em mais de 1 mil adultos saudáveis com idades entre 18 e 55 anos, além de adultos de 65 anos ou mais.

Assista e leia também:

Reino Unido fecha acordo para garantir 60 milhões de doses de potencial vacina

Paraná faz acordo com farmacêutica chinesa para testes de vacina contra Covid-19

Mesmo sem concluir testes, Rússia planeja produzir vacinas a partir de setembro

O governo norte-americano está auxiliando o desenvolvimento da vacina da J&J com um financiamento de US$ 456 milhões, parte de um desembolso mais amplo que visa acelerar a produção de uma substância para encerrar a pandemia de Covid-19, que já matou mais de 660 mil pessoas no mundo.

O cientista da J&J disse que testes anteriores deste tipo de vacina contra outras doenças revelaram que uma segunda dose aumenta consideravelmente a proteção.

Contudo, em meio a uma pandemia, uma vacina de dose única tem vantagem considerável por evitar muitas questões logísticas relacionadas à obrigatoriedade do retorno dos pacientes para receber uma segunda dose.

A Johnson & Johnson planeja tratar a questão da dose única ou dupla em seu teste de estágio inicial.

Dependendo dos resultados, a companhia planeja iniciar um teste de estágio avançado de larga escala com um regime de dose única na segunda metade de setembro. Aproximadamente nesta época, a farmacêutica iniciará um teste de estágio avançado paralelo com um regime de dose dupla da vacina, disse Stoffels.

A vacina da J&J usa um vírus de gripe comum conhecido como adenovírus tipo 26, ou Ad26, para transportar proteínas do novo coronavírus para células do organismo, o que induz uma defesa imunológica.

(Com Reuters)