Governo da Bahia assina acordo para testar vacina chinesa da Sinopharm

Giulia Pereira*, da CNN em São Paulo
14 de agosto de 2020 às 21:24 | Atualizado 14 de agosto de 2020 às 22:14

O Governo da Bahia assinou, nesta sexta-feira (14), um termo com o Grupo Nacional Biotecnológico da China - CNBG, subsidiária da farmacêutica Sinopharm, para participar dos ensaios clínicos da terceira fase do desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19.

Se a eficácia for comprovada, o estado, por meio da Bahiafarma, firmará um acordo comercial para produção do imunizante. 

Leia também:

Vacina da chinesa Sinopharm ativou anticorpos contra Covid-19 em testes clínicos

Oxford e AstraZeneca: entenda tudo sobre a vacina em fase final de testes

Sinovac: conheça detalhes da vacina chinesa em parceria com Instituto Butantan

Imunologista esclarece dúvidas sobre vacina
Foto: Freepik

O governo baiano também estuda possível participação na produção da vacina russa Sputnik V, mas ainda não há detalhes sobre a tratativa. 

A CNBG é responsável pelo desenvolvimento de duas vacinas contra o novo coronavírus e uma das primeiras empresas chinesas a começar a testagem no exterior.

Conforme previamente noticiado pela CNN, os testes clínicos publicados até o momento sobre a vacina da Sinopharm aparentam ser seguros e desencadearam respostas imunológicas nos primeiros voluntários testados.

De acordo com um estudo publicado nessa quinta-feira (13), no Journal of the American Medical Association (JAMA), o ensaio não causou efeitos colaterais graves nos voluntários testados. 

A previsão é de que a vacina esteja pronta antes do final do ano. No Brasil, o projeto, que será divido em três testagens, deverá ter 9 mil participantes na região nordeste.

O primeiro grupo, composto por 3 mil pessoas, vai receber a vacina "A". Outras 3 mil pessoas receberão a vacina "B", e o restante dos voluntários deve receber um placebo. 

(*Sob supervisão de Giovanna Bronze)