Vacina aprovada em janeiro ainda é algo incerto, diz coordenador da Conep

Jorge Venancio contou à CNN quais os próximos passos após a retomada dos testes da vacina de Oxford no Brasil

Da CNN, em São Paulo
12 de setembro de 2020 às 18:44

A retomada dos testes da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford, suspensos após uma reação adversa em um dos voluntários, está aprovada no Brasil, onde 4,6 mil voluntários já receberam o imunizante. O coordenador da Comissão Nacional de Ética e Pesquisa (Conep), Jorge Venancio, explicou à CNN na tarde deste sábado (12) que ainda é incerto o prazo de aprovação da vacina.

"Não acredito em uma perda de tempo substancial, mas se a vacina estará pronta realmente em janeiro ou não, é uma coisa ainda muito incerta. Depende muito dos resultados e do tempo para registrar a vacina", continua. 

Leia também:
Universidade de Oxford retoma testes de vacina contra a Covid-19
Pazuello fala sobre retomada dos testes da vacina de Oxford

No entanto, a paralisação não deve ocasionar em grandes atrasos. Segundo o médico, a interrupção aconteceu apenas na inclusão de novas pessoas e na segunda dose para os pacientes que já haviam tomado a primeira.

"Nós recebemos o parecer do comitê independente de segurança e a conclusão unânime que tivemos é que era possível recomeçar a pesquisa imediatamente. A situação da pandemia é grave e precisamos ter a vacina o mais rápido possível", disse. 

De acordo com Venancio, a Fiocruz fala em começar a produção da vacina em abril, mas há ainda várias etapas a serem passadas.

"Primeiro é necessário concluir a pesquisa. Depois, a Anvisa fala em cerca de 60 dias para aprovar a vacina ainda tem um tempo para fabricar. Por último, tem a distribuição no país todo. Existem várias etapas a serem cumpridas, é difícil ter uma previsão", diz Venancio. Assista à íntegra acima.