Documento descreve sintomas de 'evento adverso' em teste de vacina de Oxford

Paciente reportou fraqueza e dor nos membros e dificuldade para andar; pesquisadores descartaram relação com a vacina

Da CNN
16 de setembro de 2020 às 19:26

Um documento interno da farmacêutica AstraZeneca obtido pela CNN detalha os sintomas que a voluntária da vacina contra a Covid-19 sofreu ao manifestar um "evento adverso" durante os testes.

Os pesquisadores descartaram qualquer relação entre os sintomas e a vacina desenvolvida pela farmacêutica em parceria com a Universidade de Oxford.

O documento, obtido pela repórter Elizabeth Cohen, da CNN, confirmou que a paciente, de 37 anos, foi diagnosticada com mielite transversa, um distúrbio inflamatório espinhal raro. A voluntária recebeu duas doses da vacina, com dois meses de intervalo cada uma.

Leia e assista também

Anvisa aprova retomada dos testes da vacina de Oxford e AstraZeneca

Universidade de Oxford retoma testes de vacina contra a Covid-19

Apesar de queda em indicadores, Covid-19 ainda inspira cuidados, afirma médico

Entre os sintomas, a paciente reportou fraqueza e dor nos membros e dificuldade para andar; ela foi internada em 5 de setembro, dois dias depois do início dos sintomas. 

A farmacêutica chegou a suspender os testes clínicos no mundo todo no dia 8 de setembro, mas os retomou quatro dias depois.

De acordo com relatos feitos à CNN e informações da própria Oxford, constatou-se que não houve relação entre o evento adverso e a vacina. 

Nesta semana o Brasil e o Reino Unido retomaram os estudos. Não há previsão para os testes voltarem nos Estados Unidos. 

(Texto de Giulia Alecrim, sob supervisão de Giovanna Bronze)