O estranho caso do homem que morreu após comer muito alcaçuz

Os médicos afirmaram que ele tinha 'uma dieta deficiente, que consistia principalmente em vários pacotes de doce por dia'

Francesca Giuliani-Hoffman, da CNN
25 de setembro de 2020 às 11:37
Os doces de alcaçuz contêm ácido glicirrízico, que pode causar diminuição dos níveis de potássio no corpo
Foto: Divulgação / Pixabay

É difícil agir com moderação quanto se trata de comer doces. Mas para os amantes do alcaçuz, a moderação pode salvar a vida.

Um estudo publicado nessa quarta-feira (23) no jornal acadêmico The New England Journal of Medicine diz que um homem de 54 anos morreu por comer alcaçuz demais.

A vítima, um funcionário da área de construção de Massachusetts, nos Estados Unidos, perdeu a consciência quando estava em um restaurante de fast-food. Ele chegou a ser levado a um hospital, mas acabou morrendo no dia seguinte.

Assista e leia também:
Doce e poderoso: os efeitos do chocolate meio amargo no organismo
Diabetes pode ser agravante para Covid-19; médico tira principais dúvidas
Entenda por que a obesidade é fator de risco para o novo coronavírus

Os médicos afirmaram que ele tinha "uma dieta deficiente, que consistia principalmente em vários pacotes de doce por dia". Três semanas antes do incidente, deixou de comer doces com sabor de frutas para doces de alcaçuz, que contêm ácido glicirrízico.

A CNN entrou em contato com o médico Elazer Edelman, um dos autores do estudo, mas ainda não teve resposta.

O ácido glicirrízico (ou glicirrizina), um composto adoçante derivado da raiz do alcaçuz, pode causar diminuição dos níveis de potássio no corpo.

Isso, por sua vez, pode levar a pressão arterial alta, inchaço, alteração do ritmo cardíaco e até insuficiência cardíaca, segundo a Administração Federal de Medicamentos e Alimentos dos EUA (FDA, em inglês).

As pessoas com 40 anos ou mais devem ficar mais atentas principalmente com o consumo de alcaçuz negro. Um mínimo de 57 gramas da substância ingerido ao longo de duas semanas pode desencadear irregularidades no ritmo cardíaco e levar à hospitalização, de acordo com a FDA.

Apesar disso, os efeitos negativos de comer alcaçuz demais são reversíveis e diminuem quando o consumo é interrompido. O retorno aos níveis normais de potássio pode levar de uma a duas semanas, informa o estudo.

Por sorte, há alternativas seguras. Segundo o Instituto Nacional de Saúde dos EUA, muitos produtos de alcaçuz disponíveis no país, na verdade, não contêm alcaçuz, mas sim óleo de anis, que tem um sabor parecido.

(Texto traduzido. Leia o original em espanhol.)