Correspondente Médico: Por que falar em público pode despertar o nervosismo?

Neurocirurgião Fernando Gomes avalia o impacto que o ato de falar em público pode provocar no corpo humano

Da CNN
29 de setembro de 2020 às 10:09

Um grande desafio para muitas pessoas, falar em público também pode despertar a tensão nos mais experientes no assunto, como nos casos do presidente Donald Trump e do ex-vice presidente Joe Biden, que disputam a eleição presidencial nos EUA.

A CNN Brasil e a CNN americana irão transmitir simultaneamente o debate entre os dois, a partir das 22 horas (horário de Brasília) desta terça-feira (29). Em parceria com a CNN Brasil, o portal UOL retransmitirá o evento.

Na edição desta terça do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes analisou como o corpo reage ao falar em público e quais são os principais desafios do indivíduo para superar o medo de uma apresentação, mesmo que ele seja experiente no assunto.

"O candidato, dentro de um sistema democrático, tem dois trabalhos diferentes: um deles é 'se vender', momento de mostrar ideias e como ele vai reagir e a questão de governar. Quando entramos em uma questão de disputa pública, é importante a gente entender que quando nos comunicamos, é todo um trabalho conjunto do corpo humano", indicou.

Assista e leia também:
De Kennedy-Nixon a Trump-Biden: 60 anos de debates presidenciais nos EUA
Eleição nos EUA: Conheça as regras do 1º debate entre Trump e Biden
Cinco pontos para ficar atento hoje no debate entre Trump e Biden

Correspondente Médico: Por que falar em público desperta o nervosismo?
Foto: Reprodução/CNN

Em um debate ou em qualquer outra apresentação, a comunicação é ativada a partir da produção verbal, expressão facial e corporal. 

"A forma de você gesticular e de se apresentar diz muito. É muito importante observarmos isso durante o debate. É possível reparar se a expressão facial é compatível com a corporal, por exemplo. Quando a pessoa está alinhada, o poder de comunicação dela é muito forte", afirmou. 

Na avaliação do médico, quando o indivíduo é exposto a situações como esta, o corpo tem dois caminhos: a de tranquilidade e confiança ou o de tensão e reações mais 'engessadas'. 

"O corpo humano fala em qualquer situação. É possível que quando a pessoa está mais tensa, ela fique mais travada e com voz mais trêmula. Por outro lado, a pessoa tranquila demonstra mais fluidez e sem receios. No caso de candidatos experientes, como o caso de Biden e Trump, neste campo do debate eu tenho certeza de que nenhum deles vão escorregar", analisou.

E finaliza: "A gente sabe que a comunicação acaba sendo o que um neurônio faz com o outro, através da sinapse. Se a pessoa, por algum motivo, se sente insegura em relação ao assunto, ela pode criar mecanismos naturais no seu processo de fala que acaba bloqueando sua expressão. A adrenalina pode provocar estas situações. É possível melhorar todos estes pontos desenvolvendo a memória de trabalho, a partir de treinamentos específicos."

(Edição: André Rigue)