Brasil tem mais 713 mortes e 28.523 casos confirmados de Covid-19 em 24 horas

Ao todo, no país, 152.460 pessoas já morreram em consequência do novo coronavírus e 5.169.386 foram infectadas

Sinara Peixoto, da CNN, em São Paulo
15 de outubro de 2020 às 18:57 | Atualizado 15 de outubro de 2020 às 20:39

O Brasil registrou nesta quinta-feira (15) mais 713 mortes por Covid-19 e 28.523 casos confirmados da doença.

Ao todo, no país, 152.460 pessoas já morreram em consequência do novo coronavírus e 5.169.386 foram infectadas.

O informativo do Ministério da Saúde é divulgado diariamente e considera os casos registrados por estados e municípios em um período de 24 horas a partir das 16h do dia anterior, independentemente da data da ocorrência.

Leia também:

Jovens saudáveis podem ter acesso à vacina da Covid-19 apenas em 2022, diz OMS

Estudo liga menor risco de infecção por Covid-19 ao tipo sanguíneo O

Vacinação entre jovens

Embora cerca de 200 vacinas estejam sendo desenvolvidas mundialmente, com 31 delas já na fase clínica de testes e 8 consideradas promissoras pela comunidade científica, jovens saudáveis podem ter que esperar até o ano de 2022 para serem vacinados contra a Covid-19, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

O anúncio da cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, indica que a prioridade será a vacinação daqueles que são considerados grupos de maior risco — como idosos e profissionais de saúde.

“Teremos muitas orientações e informações que ainda irão sair sobre a vacina. Mas acho que em média, uma pessoa jovem e saudável, possa ter que esperar até 2022 para conseguir a vacina. Mas até lá, acreditamos que vamos diminuir a mortalidade pela doença e proteger primeiro aqueles em maior risco. E aí, passaremos a proteger outra porcentagem maior da população”, disse.

Em outra entrevista, Soumya também afirmou que é possível que a eficácia e segurança de uma vacina seja confirmada no final de 2020, mas o início da vacinação em si está previsto para a metade de 2021. 

De acordo com Soumya, meses e anos serão necessários para que bilhões de doses sejam produzidas de modo a proteger 60 ou 70% de toda a população.