Danos cardíacos de longo prazo são prováveis em pacientes graves de Covid-19

Coronavírus desregula a forma como o sangue coagula e danifica os pulmões e sua capacidade de processar oxigênio

Maggie Fox,da CNN
19 de outubro de 2020 às 16:15
Tratamento de paciente com coronavírus em leito de UTI
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Alguns pacientes hospitalizados que sobrevivem a Covid-19 podem ter danos cardíacos de longo prazo, afirma um estudo de médicos da Escola de Medicina Icahn no Monte Sinai divulgado nesta segunda-feira (19/10). 

De acordo com os pesquisadores, o coronavírus desregula a forma como o sangue coagula e danifica os pulmões e sua capacidade de processar oxigênio fresco no sangue nesses pacientes.

Leia mais:
Brasil investiga pelo menos 247 casos de possíveis reinfecções por Covid-19

Pacientes que tiveram que passar por ventilação mecânica - e a sedação medicamentosa que vem junto com isso - estão ainda mais em perigo, diz o estudo. Os médicos observaram que cerca de um terço dos sobreviventes do vírus da síndrome respiratória aguda (SARS), ocorrida entre 2003 e 2004, tinham função pulmonar persistentemente anormal um ano após a doença, com menor capacidade de exercício - e a Covid-19 parece danificar até mesmo o coração.

Um segundo estudo detectou um tipo de dano ao coração conhecido como lesão miocárdica em cerca de um quarto dos pacientes com coronavírus.

Um terceiro estudo observou que os pacientes com excesso de gordura corporal, açúcar no sangue não controlado, pressão alta e colesterol alto têm riscos muito maiores de complicações do coronavírus. Muitos americanos têm os quatro problemas, eles observaram.

Os médicos precisam estar cientes desses riscos, dizem os pesquisadores, e as descobertas tornam mais importante do que nunca para os americanos controlar o açúcar no sangue, o colesterol, a pressão arterial e o peso.