Empresa de biotecnologia ganha doação para avaliar substâncias de anticorpos

Companhia recebeu uma bolsa da Fundação Bill & Melinda Gates

Reuters
19 de outubro de 2020 às 11:49
Funcionário trabalha em pesquisa de potencial vacina da Covid-19 
Foto: Andreas Gebert / Reuters

A empresa alemã de biotecnologia Evotec revelou nesta segunda-feira (19) que recebeu uma bolsa da Fundação Bill & Melinda Gates para ajudar a identificar e desenvolver potenciais medicamentos de anticorpos monoclonais (mAbS) para a prevenção da Covid-19. 

Diversas farmacêuticas estão testando tratamentos de anticorpos para ajudar o sistema imunológico dos pacientes a combater o novo coronavírus, que já matou mais de um milhão de pessoas em todo o mundo.

Os tratamentos com anticorpos entraram em foco depois que um estudo mostrou que o remdesivir, um dos poucos medicamentos antivirais utilizados para tratar pessoas com Covid-19, tem pouco ou nenhum impacto nas chances de um paciente sobreviver à doença.

Assista e leia também:
Gates vê tratamento de anticorpos usado por Trump como mais promissor para Covid
Regeneron é procurado após tratamento de Trump, mas médicos querem mais dados
Você pode ser infectado com Covid-19 duas vezes? A resposta não é simples

A Evotec disse que a bolsa permitirá que a subsidiária Just, com sede em Seattle, use seu software, chamado Abacus, para analisar sequências candidatas de potentes mAbs. Elas foram fornecidas à fundação por centros médicos acadêmicos de todo o mundo.

“O Abacus vai poder fazer uma avaliação rápida dos candidatos a anticorpos para melhorar potencialmente sua qualidade e oferecer os custos mais baixos possíveis para desenvolvimento e fabricação de tratamentos”, disse James Thomas, chefe global de bioterapia da Just.

A Evotec não divulgou o valor da doação e afirmou que também vai desenvolver uma linha celular para duas moléculas principais.

Anticorpos monoclonais são versões feitas em laboratório de proteínas produzidas naturalmente pelo sistema imunológico em resposta a vírus invasores ou outros patógenos.

O tratamento com anticorpos também ganhou destaque depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi tratado com um medicamento feito pela Regeneron Pharmaceuticals.