Fiocruz começa estudos com vacina BCG contra a Covid-19; entenda

Para ser voluntário, é preciso ter mais de 18 anos, trabalhar na área saúde e não ter nenhuma contraindicação para receber a revacinação da BCG

Da CNN, em São Paulo
19 de outubro de 2020 às 15:20 | Atualizado 19 de outubro de 2020 às 15:20

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) inicia nesta segunda-feira (19) um estudo com a vacina BCG para reduzir o impacto da Covid-19 em profissionais de saúde.

A BCG é umas das principais vacinas utilizadas no mundo, aplicada anualmente em cerca de 120 milhões de recém-nascidos. Além de prevenir as formas graves de tuberculose na infância, a BCG também pode gerar resposta imune protetora inespecífica contra outras infecções.

Em entrevista à CNN, Julio Croda, pesquisador da fundação, explica os motivos que levam a crer que a BCG pode ser eficaz contra o novo coronavírus. 

Assista e leia também:

Russos esperam autorização para produzir Sputnik V no Brasil em dezembro

Vacina Coronavac apresenta baixa taxa de reação adversa, diz governo de SP

Brasil investiga pelo menos 247 casos de possíveis reinfecções por Covid-19

“Tem dois resultados importantes. Um com crianças e outro mais recente com idosos, mostrando que a BCG protegeu infecções respiratórias virais em 79% idosos que se vacinaram na Grécia”, argumenta. 

“São dados iniciais, não é contra a Covid-19, mas faz com que possamos testar em estudos de fase 3”, afirma.

Croda esclarece que, ao todo, 10 mil voluntários serão recrutados nesse estudo de fase 3 em todo o mundo. 

“Temos pacientes na Austrália, Holanda, Reino Unido e Espanha. No Brasil serão três mil voluntários, sendo dois mil da cidade de Campo Grande (MS) e mil do Rio de Janeiro”, diz.

Metade (1,5 mil) dos pacientes vão receber a imunização da BCG e a outra, placebo.

Os indivíduos serão avaliados por um ano. “Nos primeiros 14 dias serão verificadas as reações adversas. Depois, semanalmente, o paciente irá receber uma ligação. Se apresentar sintomas, iremos coletar o [teste] RT-PCR”, explica.

“Depois teremos retorno desses pacientes no terceiro, sexto, nono e 12º mês para colher a sorologia que mede anticorpo IgM e IgG para verificar se o paciente teve a doença [a Covid-19] na sua forma assintomática”, acrescenta. 

Para ser voluntário, segundo o especialista, é preciso ter mais de 18 anos, trabalhar na área saúde e não ter nenhuma contraindicação específica para receber a revacinação da BCG.

(Edição: Sinara Peixoto)