AstraZeneca retomará testes da vacina Covid-19 nos EUA após reação em paciente

O ensaio havia sido interrompido depois que uma voluntária da Grã-Bretanha desenvolveu uma condição neurológica

Maggie Fox, da CNN
23 de outubro de 2020 às 22:04
Laboratório da AstraZeneca em Sydney, Austrália
Foto: Dan Himbrechts - 19.ago.2020 / AAP Image via Reuters

A farmacêutica AstraZeneca anunciou que vai retomar os testes de sua vacina experimental contra o coronavírus nos Estados Unidos, suspensa desde setembro.

A empresa disse que a Food and Drug Administration (FDA, o equivalente à Anvisa no Brasil) dos EUA autorizou o reinício na quinta-feira (22), após revisar todos os dados globais de segurança e concluir que era seguro retomar. Os testes já haviam sido retomados em outros países.

O ensaio foi interrompido depois que uma voluntária da Grã-Bretanha desenvolveu uma condição neurológica.

Assista e leia também:

Lewandowski envia para o plenário ação sobre vacinação obrigatória da Covid-19
Acho necessária a judicialização da vacinação contra Covid, diz Fux
Anvisa autoriza Butantan a importar 6 milhões de doses da Coronavac

Autoridades de saúde do governo, bem como especialistas externos, disseram que o bloqueio é um exemplo de como o processo de segurança está funcionando e protegendo os americanos de quaisquer vacinas potencialmente perigosas. Os reguladores queriam verificar se quaisquer problemas não poderiam ter sido causados pela vacina.

A empresa tem trabalhado com a Universidade de Oxford para desenvolver a vacina, uma das quatro que iniciaram os testes de fase 3 nos Estados Unidos.

Um relatório de segurança interno da AstraZeneca obtido pela CNN no mês passado mostrou que a voluntária do estudo, uma mulher previamente saudável de 37 anos, "apresentou mielite transversa confirmada" após receber a segunda dose da vacina, e foi hospitalizada em 5 de setembro. 

O documento, denominado “relatório inicial”, descreveu como a participante do estudo teve dificuldade para andar, fraqueza, dor nos braços e outros sintomas.

A empresa disse no comunicado que os resultados dos testes em estágio final são esperados ainda neste ano, dependendo das taxas de infecção onde os testes estão sendo conduzidos.

(Texto traduzido. Clique aqui para ler o original em inglês)