Correspondente Médico: Covid-19 é mais agressiva em pacientes transplantados?

Neurocirurgião Fernando Gomes comenta o caso do vocalista Paulinho, do grupo Roupa Nova, que teve câncer e está com o novo coronavírus

Da CNN, em São Paulo
16 de novembro de 2020 às 10:57

 

O cantor Paulinho, de 68 anos, do grupo Roupa Nova, luta há três semanas contra a Covid-19, que contraiu enquanto ainda se recuperava de um transplante de medula óssea contra um câncer que atingiu seu sistema linfático. Mas afinal, a Covid-19 é mais agressiva em pacientes transplantados?  

"O paciente que tem por exemplo um linfoma, uma leucemia, uma doença que precisa ter como forma de tratamento um transplante de medula óssea passa por uma situação de maior fragilidade, pois o sistema imunológico vai deixar de funcionar de forma adequada por uns 100 dias", explica o neurocirurgião Fernando Gomes, no quadro Correspondente Médico.

Leia também:
Moderna afirma que sua vacina é 94,5% eficaz contra a Covid-19
Como a Covid-19 atua em um corpo já debilitado?
As pessoas estão perdendo o medo da Covid-19?

"Existe uma maior suscetibilidade a contrair infecções. E vivendo numa pandemia, existe uma fragilidade maior para contaminação e manifestação da doença. Com isso uma série de cuidados adicionais são indicados aos pacientes. Com todo seu sistema imunológico desprevenido, fica mais fácil de ter uma evolução não tão satisfatória", continua.

(Publicado por: André Rigue)