Fiocruz começa nova etapa de testes da vacina BCG contra a Covid-19


Jairo Nascimento, Isabelle Resende e Beatriz Puente Da CNN, no Rio de Janeiro
16 de novembro de 2020 às 16:27 | Atualizado 16 de novembro de 2020 às 17:12

A Fundação Oswaldo Cruz começou nesta segunda-feira (16) a fase 3 dos testes da vacina BCG como possível imunizante contra o novo coronavírus. Serão 500 voluntários profissionais da saúde no Brasil, um total de 10 mil em cinco países. Pesquisas apontaram que a vacina que previne a tuberculose apresentou bons resultados contra doenças respiratórias.

A vacinação ou revacinação da BCG será testada contra Covid-19 após estudos que sugeriram que a vacina pode apresentar resposta imune contra vírus, bactérias e protozoários que causas doenças no sistema respiratório. Os voluntário serão acompanhados por um ano e farão exames periódicos.

O estudo irá vacinar 10 mil voluntários na Austrália, Reino Unido, Espanha, Holanda e Brasil. A BCG chegou no Brasil em 1921. Desde 1976 a vacinação de crianças é obrigatória.

Leia também:

Ministério da Ciência testa vacina BCG como tratamento contra a Covid-19
Vacina própria da Fiocruz contra Covid-19 pode ter testes em humanos em 2021
OMS: 'Não é tempo de sermos complacentes com a pandemia'

Estudos anteriores feitos na Grécia e na África do Sul já comprovaram a eficácia da BCG contra doenças do sistema respiratório. Por isso, a nova pesquisa, coordenada no Brasil pela Fiocruz, mas que também acontece em outros quatro países, quer identificar se a Covid-19 também pode ser combatida com o imunizante já existente no Programa Nacional de Vacinação.

Aplicação de vacina em braço de criança

Vacina BCG é estudada pela Fiocruz como possível aliada ao combate da Covid-19

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil