Pesquisa mostra confiança de brasileiros em relação à vacina russa

No Brasil, 50% dos entrevistados pela pesquisa apontou a Rússia como um dos países mais confiáveis para produzir uma vacina eficiente contra a Covid-19

Iuri Corsini*, da CNN, no Rio de Janeiro
17 de novembro de 2020 às 16:28 | Atualizado 17 de novembro de 2020 às 16:31
Doses da Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19
Doses da Sputnik V, vacina russa contra a Covid-19; Bahia assinou acordo para distribuir até 50 milhões de doses
Foto: Andrey Rudakov - 7.ago.2020/ Fundo Russo de Investimento Direto/ Reuters

Uma pesquisa realizada por empresa do Reino Unido apontou que, no Brasil, 85% dos entrevistados afirmaram que gostariam de ser vacinados contra a Covid-19 e 56% disseram conhecer a vacina russa Sputnik V. Além disso, 9 em cada 10 entrevistados disseram que preferem uma vacina baseada em adenovírus humano (plataforma da Sputnik V), ressaltando a confiança dos entrevistados em relação à vacina russa.

Para fechar a pesquisa aqui no Brasil, 50% das pessoas ouvidas mencionaram a Rússia entre os países com maior credibilidade para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus - sendo que cada entrevistado nomeou três países.

A pesquisa foi feita pela YouGov entre os dias 9 e 19 de outubro e, portanto, antes do anúncio dos 92% de eficácia da vacina Sputnik V durante a primeira análise provisória de dados.

Ela foi divulgada pelo Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF, fundo soberano da Federação Russa) após ter sido realizada em 11 países (Brasil, Vietnã, Egito, Índia, Indonésia, Malásia, México, Nigéria, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita e Filipinas) e ter ouvido 12 mil pessoas. Aqui no Brasil, mil pessoas participaram da pesquisa.

De forma geral, 73% dos 12 mil ouvidos disseram estar prontos para serem vacinados contra a Covid-19. Essa pesquisa já é uma das maiores sobre o tema e a primeira pesquisa global envolvendo países do Oriente Médio e Sudeste Asiático.

Frascos da Sputnik V, vacina contra Covid-19 aprovada pela Rússia
Frascos da Sputnik V, vacina contra Covid-19 aprovada pela Rússia
Foto: Divulgação - 06.ago.2020/ Fundo Russo de Investimento Direto

Na semana passada, o fundo soberano russo, que financia o desenvolvimento da vacina Sputnik V contra a Covid-19, informou mais detalhes sobre o andamento dos estudos e afirmou que o imunizante apresentou uma eficácia de 92%, de acordo com resultados provisórios de testes.

Leia também:
Covid-19: Governo avalia esta semana a compra de vacinas de 4 laboratórios
Covid-19: Pesquisadores britânicos cogitam misturar vacinas em testes futuros
Vacina própria da Fiocruz contra Covid-19 pode ter testes em humanos em 2021
Podcast: A disputa da vacina e as 160 mil mortes pela Covid-19

Os resultados interinos se basearam em informações dos primeiros 16 mil participantes que receberam as duas doses da vacina. A Fase 3 de testes da vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleya acontece em 29 clínicas em Moscou e vai envolver, quando terminada, 40 mil voluntários no total.

A Rússia registrou a vacina para uso público em agosto. Foi o primeiro país a fazer isso, mesmo antes dos testes em grande escala, que começaram em setembro.

Em entrevista à CNN, o diretor geral do Fundo Russo de Investimentos Diretos, Kirill Dmitriev, afirmou que a Rússia tem condições de fornecer ao Brasil 50 milhões de doses do imunizante já em janeiro de 2021. Dmitriev garantiu que a vacina é eficaz e segura e disse ainda que o governo russo tem mantido contato com a Anvisa. Além disso, segundo ele, o Brasil será um dos produtores mundiais da Sputnik V.

 *sob supervisão de Robson Santos