"Parece que todo mundo cansou de ficar em casa e se cuidar", diz epidemiologista


Da CNN, em São Paulo
21 de novembro de 2020 às 16:02


 
 O Brasil não deve se livrar tão cedo dos altos índices de casos de Covid-19 por conta do comportamento da população, que relaxou nos cuidados para se proteger do novo coronavírus. A análise é do epidemiologista e reitor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pedro Hallal, em entrevista à CNN na tarde deste sábado (21).

"Nas últimas semanas vem sendo observada uma disparada, já dá para dizer que é uma tendência nacional. Certamente teremos uma segunda onda, mas a brasileira será bem lá na frente porque não superamos a primeira ainda. É só olhar pra rua, as pessoas no Brasil abandonaram a precaução com a pandemia, parece que todo mundo cansou de ficar em casa e tomar os cuidados", avalia.

Leia também
Brasil ultrapassa 6 milhões de casos de Covid-19
"É um momento de alerta", diz médica sobre aumento de casos de Covid-19 no país
Lotação de leitos por Covid-19 prejudicará cirurgias, alerta infectologista

O epidemiologista e reitor da UFPel, Pedro Hallal (21.nov.2020)
Foto: Reprodução/CNN


 
 
Hallal alerta a importância dos jovens se precaverem para não serem vetores de contaminação. "O grupo de 15 a 29 anos parece que abandonou a preocupação com a pandemia. Esse grupo tem pouco risco, mas convive com pessoas de outras idades que podem vir a óbito. A pandemia está longe de acabar, não é vida normal ainda. Aglomeração de mais de 10 pessoas deve ser evitada realmente", alerta.

(Publicado por: Marina Motomura)