Correspondente Médico: É possível estender a validade dos testes para Covid-19?

Neurocirurgião Fernando Gomes explica que 'muitas vezes existe uma margem de segurança adicional' nos produtos

Da CNN, em São Paulo
25 de novembro de 2020 às 09:36

 

Quase 7 milhões de unidades de teste do tipo RT-PCR, que detecta a presença do novo coronavírus, foram comprados pelo governo e estão parados. A validade é entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021. O valor investido pelo Ministério da Saúde foi de R$ 290 milhões. A pasta não confirmou o prazo de validade, mas citou estar em "estudos de viabilidade estendida" para os testes.

Na edição desta quarta-feira (25) do quadro Correspondente Médico, do Novo Dia, o neurocirurgião Fernando Gomes explicou se é possível estender a validade dos testes, que requerem armazenamento refrigerado e, após abertos, devem ser usados em até 72 horas.

Leia e veja também:
Bolsonaro diz que testes contra Covid-19 encalhados são responsabilidade de estados
Correspondente Médico: Atividade física pode evitar internação pela Covid-19?

"Existem diversos estudos em que se tenta entender se é possível ir além do que a validade do fabricante estipula. Isso porque existe uma margem de segurança. Quando se fabrica qualquer produto, a ciência já mostra qual [o prazo de] segurança média para se utilizar aquele insumo. Muitas vezes se tem uma margem de segurança adicional", disse Gomes sobre os estudos de viabilidade do Ministério da Saúde.

No quadro Correspondente Médico, Fernando Gomes explicou o armazenamento de testes PCR
Foto: CNN Brasil (25.nov.2020)

(Publicado por: André Rigue)