Gorinchteyn diz que não é justo Coronavac só para SP: saúde é democrática

Secretário de Saúde de SP afirmou ainda que irá adiante com a vacina porque o país vive hoje em uma situação de emergência

da CNN, em São Paulo
24 de novembro de 2020 às 22:10

Em entrevista à CNN nesta terça-feira (24), Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde do Estado de São Paulo, falou sobre a corrida pela vacina contra o novo coronavírus

"A saúde é democrática, o sistema é único de saúde e não será justo usar a vacina só para brasileiros de São Paulo", disse ele ao ser questionado se o governo de São Paulo vai adquirir a Coronavac, imunizante produzido pela empresa chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan, por conta própria caso o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) recuse definitivamente a parceria.

Assista e leia também:

Com maior taxa de transmissão desde maio, Covid-19 supera 170 mil mortes no país

Vacina russa custará 50% da americana e quase o mesmo que chinesa; veja preços

STF julga no dia 4 de dezembro duas ações sobre vacina contra Covid-19

Gorinchteyn afirmou que vai adiante com a vacina, porque o país vive hoje em uma situação de emergência. 

"Estamos numa situação totalmente diferente. Vivemos em uma emergência sanitária em todos os estados e o Distrito Federal em que precisamos de uma vacina para garantir a proteção de vidas".

E prosseguiu: "Dessa maneira, eu ter uma vacina que já se mostrou segura e que muito provavelmente dê a garantia de proteção contra o coronavírus, creio que dificilmente alguma autoridade vai deixar de adquiri-la por qualquer motivo".

Pessoas caminham de máscara em rua comercial do Rio de Janeiro durante pandemia da Covid-19
Foto: Lucas Landau/Reuters (8.out.2020)