Governo vai restringir termo de responsabilidade para se vacinar em MP

O Palácio do Planalto irá seguir o rito que foi feito na Inglaterra e nos Estados Unidos e exigir a assinatura apenas para a vacina emergencial

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
15 de dezembro de 2020 às 21:24
Bolsonaro no Palácio do Planalto
Foto: Ueslei Marcelino - 29.abr.2020/Reuters

O presidente Jair Bolsonaro decidiu incluir na Medida Provisória que enviará ao Congresso Nacional nesta quarta-feira (16) o termo de responsabilidade a ser assinado por quem for vacinado.

No entanto, o Palácio do Planalto irá seguir o rito que foi feito na Inglaterra e nos Estados Unidos e exigir a assinatura apenas para a vacina emergencial.

Para as vacinas definitivas, portanto, não terá nenhum termo.

Assista e leia também

Relatório da MP das vacinas exigirá assinatura de termo de responsabilidade

'Não conheço país discutindo assinatura de termo', diz vice-diretora da OMS

Termo para ser vacinado é motivado por cláusula da Pfizer, diz relator da MP