Rezende: Em plano de imunização, Bolsonaro mostrou como diplomacia é necessária

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende avaliou a postura do presidente da República durante a apresentação do Plano Nacional de Imunização

Da CNN, em São Paulo
17 de dezembro de 2020 às 10:20


No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (17), Sidney Rezende avaliou a atitude do presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia de apresentação oficial do Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19, em que ele minimizou desentendimentos com governadores e outras autoridades sobre a condução das medidas contra a pandemia, além de defender a união de todo o país na busca por soluções.

Leia também:

Bolsonaro minimiza desentendimentos e prega união ao lançar plano de imunização
Pazuello descarta termo de responsabilidade para vacina registrada na Anvisa
Saúde muda prazo e diz que vacinação contra Covid-19 começa em fevereiro

"Para o país, agora, ter um presidente tranquilo, que deixa seus auxiliares trabalharem, deixa a nação se entender, deixa a porta aberta para o diálogo com governadores e prefeitos, é o mínimo que nós precisamos. Porque já se sabe há muito que nós todos precisamos remar pro mesmo lado, o inimigo comum nosso é a doença. Ter um presidente paz e amor, diplomático, dizendo que se erramos é tentando acertar, é muito melhor do que ter um presidente como aquele da Ceagesp, falando as coisas que ele disse", destacou Rezende, em referência aos ataques de Bolsonaro ao governador João Doria (PSDB)

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (17.dez.2020)

(Publicado por Leonardo Lellis)