Distrito Federal apresenta plano regional de vacinação contra Covid-19

DF deve vacinar 678.750 pessoas em quatro fases

Natália André, da CNN, em Brasília
18 de dezembro de 2020 às 12:12 | Atualizado 18 de dezembro de 2020 às 13:00


 

A Secretaria da Saúde do Distrito Federal apresentou o plano regional de vacinação contra a Covid-19. Na estratégia, com 4 fases dos grupos prioritários idealizados pelo governo federal, o DF deve vacinar 678.750 pessoas — o DF tem 2,57 milhões de habitantes. Ou seja, é preciso 1,2 milhão de doses, levando em conta imunizantes de maior foco do Ministério, que têm aplicação dupla: Oxford, Coronavac e Pfizer.

A primeira fase inclui trabalhadores da saúde, idosos com mais de 74 anos, pessoas com mais de 60, que estejam institucionalizadas e indígenas. A segunda abarca pessoas de 60 a 74 anos. Já a terceira fase inclui pessoas com comorbidades. A quarta fase englova professores e profissionais das forças de segurança, salvamento e de presídios. As datas e prazos de cada fase dependem de orientação do Ministério da Saúde.

“A estratégia é baseada nas vacinas. Conforme forem saindo os registros e as empresas forem entregando, a estratégia vai aumentando. Outras populações de risco vão sendo adicionadas”, explicou a chefe do núcleo de rede de frios da SES-DF, Tereza Luiza Pereira.

Leia e assista também

Veja quais são as fases de distribuição da vacina de acordo com plano do governo

SP mantém vacinação em 25/1, apesar da intenção da Saúde de comprar a Coronavac

Grupos prioritários para vacina somam 54 milhões de pessoas; veja quem são

De acordo com o secretário de Saúde, Osnei Okumoto, o Ministério da Saúde assegurou que a produção nacional de agulhas e seringas já consegue suprir 70% das demandas da pandemia. O DF receberá, neste começo da vacinação, 7,8 milhões de agulhas e seringas.

O secretário também falou que só fará uma negociação com farmacêuticas para uma compra distrital de vacinas se o Ministério da Saúde desistir do Plano Nacional de Imunização. Segundo ele, não será possível separar a população das cidades que vivem no entorno do Distrito Federal, como moradores de Goiás. O DF conta com 169 salas de vacinação em UBS, policlínicas, hospitais públicos, militares e universitários.

Supercongeladores

A secretaria também falou sobre uma possível compra de supercongeladores para o armazenamento a -70°C da vacina da Pfizer. “O Ministério da Saúde está procurando formas e já sinalizou que, se for preciso, conforme possível grande número de doses da Pfizer, vai comprar e distribuir equitativamente aos estados d ao DF. Por isso, ainda não fizemos nenhum negócio à parte”, explicou Tereza Luiza.

Sobre uma possível conversa com a UnB (Universidade de Brasília), a chefe da rede de frio afirmou que a Universidade não procurou a SES oficialmente. O Distrito Federal, pelo plano, já tem uma rede de frio instalada e está locando uma outra. Também terá 8 redes regionais.

Dose dupla

Sobre a preparação da campanha para o público com uma dificuldade maior por causa da possível aplicação dupla, ou seja, a população vacinada precisará voltar aos postos, em um período específico, para conseguir a eficácia completa. O coordenador de Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick, afirmou que a solução é comunicação reforçada do governo, da imprensa e da comunidade.

Já o secretário Okumoto adicionou que combater os antivacinas será fundamental. “Grandes figuras ajudam no esforço de mostrar a importância da vacinação. Trabalharemos as fake news. Precisamos informar cada vez mais, com bastante clareza, que as vacinas serão de qualidade”, reforçou.