Governo e cias áreas fecham acordo para transporte de vacina contra Covid-19

Gol, Latam, Voepass e Azul aceitaram ceder frotas e logística para transporte dos imunizantes

Will Marinho, da CNN, em São Paulo
17 de dezembro de 2020 às 22:00 | Atualizado 17 de dezembro de 2020 às 22:55
Acordo visa acelerar a distribuição das vacinas aos brasileiros
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil


O governo anunciou por meio do ministério da Saúde um acordo com a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para transportar gratuitamente doses da vacina contra o novo coronavírus. Dentre as companhias que selaram o acordo estão: Gol, Latam, Voepass e Azul.

A parceria prevê que as empresas forneçam suas frotas, logística, e a equipe para o transporte gratuito da vacina. De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a união visa trazer mais agilidade para a distribuição dos imunizantes: “O Brasil já garantiu milhões de doses de vacinas contra a Covid-19. Agora, com o auxílio da Abear, a distribuição será ainda mais ágil", explicou o ministro.

Leia e assista também:

Presidente da Anvisa pede entendimento a autoridades: já temos problemas demais
Brasil registra mais 1.092 mortes por Covid-19, maior número desde junho
STF decide que vacina contra a Covid-19 deve ser obrigatória, mas não, forçada

Autorização de uso emergencial

O ministério da Saúde negocia com a farmacêutica Pfizer para adquirir 70 milhões de doses e outras 38 milhões de doses com a Janssen.

Em nova audiência com senadores, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello disse que um contrato de uso emergencial do imunizante da Pfizer/BioNTech, que já começou a ser aplicado no Reino Unido, Estados Unidos e Canadá, não é o melhor cenário, "mas pode ajudar" no momento. 

“Eu sou a favor do uso emergencial, mas precisamos ter cautela e respeito pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Se perdermos a nossa última linha de defesa, que é a nossa agência reguladora, como colocaremos isso pra população?”, reforçou.