Vacina da AstraZeneca/Oxford recebe certificação de boas práticas da Anvisa

Segundo a Anvisa, a avaliação foi divulgada dez dias antes da previsão inicial de publicação. Passo antecede pedido de uso emergencial

André Jankavski, da CNN, em São Paulo
23 de dezembro de 2020 às 23:26 | Atualizado 24 de dezembro de 2020 às 16:40

 

A vacina da AstraZeneca em parceria com a Universidade Oxford é o mais novo medicamento contra a Covid-19 a receber a certificação de boas práticas de fabricação pela Agência Nacional de Vigilância Santitária (Anvisa). A divulgação foi realizada na noite desta quarta-feira (23). 

Leia também:
Governo de SP e Butantan adiam divulgação de eficácia da Coronavac
O que sabemos sobre a nova variante do coronavírus

Vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus
Foto: Dado Ruvic/Reuters


 O protocolo antecede pedidos de uso emergencial e de registros definitivos. Com o certificado, a vacina da AstraZeneca/Oxford tem uma chancela maior da Anvisa para pedidos de uso emergencial.

Segundo a Anvisa, a avaliação foi divulgada dez dias antes da previsão inicial de publicação.

"A etapa finalizada é um dos pré-requisitos para a continuidade do processo de registro e faz parte dos esforços contínuos da agência para a disponibilização das vacinas para a população com qualidade, segurança e eficácia no menor tempo possível", disse a Anvisa em nota. 

Com isso, a vacina se junta à Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech juntamente com o Instituto Butantan, que recebeu a mesma certificação no último dia 21.