'É o início do fim da pandemia', diz médico brasileiro vacinado em Portugal

"O governo português atuou com absoluto compromisso com a ciência e o bem estar da população," disse o médico brasileiro que mora em Portugal, Marcelo Motta

Da CNN, em São Paulo
29 de dezembro de 2020 às 21:00 | Atualizado 29 de dezembro de 2020 às 21:39


 

O médico brasileiro Marcelo Motta, que vive em Portugal, recebeu sua dose da vacina contra Covid-19 nesta terça-feira (29) — país europeu começou a imunização no último domingo. Em entrevista à CNN, ele relatou não ter sofrido reações adversas graves e destacou o atraso do Brasil em iniciar sua campanha de vacinação.

“Para nós, a vacina é o início do fim da pandemia, começamos a ver uma luz no fim do túnel. Após tomar a vacina, tive algumas reações, senti dor no local 4h depois e agora estou com discreta dor de cabeça e muscular, mas isso está prescrito na bula do remédio,” disse.

“Aqui o estado estimulou o dever cívico durante a pandemia, então foram feitos toques de recolher mas sem insistir em multas. Investiram na educação da população. O governo atuou com absoluto compromisso com a ciência e o bem estar da população. Triste ver que enquanto o mundo se voltou para a ciência, o Brasil está atrasado no mínimo de três a quatro meses em relação à vacinação."

Leia também

Belarus começa a administrar vacina russa contra a Covid-19

DHL está otimista com o transporte de 10 bilhões de vacinas (e com o Brasil)

Anvisa e Pfizer tentam acordo em reunião amanhã sobre registro da vacina

Até a tarde desta terça-feira (29), ao menos 45 países já começaram a imunizar suas populações contra o novo coronavírus. No Brasil, não há previsão para início da vacinação. 

(Publicado por Leonardo Lellis)