Nova cepa pode ajudar pessoas a redobrar cuidados, diz Natália Pasternak

Ela explicou que até o momento, não foi encontrada nenhum “escape de mutação” do vírus do novo coronavírus e que as vacinas atuam contra mutações

Da CNN, em São Paulo
31 de dezembro de 2020 às 20:50 | Atualizado 01 de janeiro de 2021 às 13:34

 

A doutora em microbiologia e presidente do Instituto Questão de Ciência, Natália Pasternak, falou, em entrevista à CNN nesta quinta-feira (31), sobre a nova mutação do vírus da Covid-19 encontrada nesta quinta-feira (31) em São Paulo.

A microbiologista afirmou que, até o momento, não foi encontrado nenhum “escape de mutação” do novo coronavírus, o que significa que eles não foram modificados a ponto de serem imunes às vacinas sendo desenvolvidas para conter a pandemia, e disse que, na prática, não se sabe os efeitos epidemiológicos dessa nova variante ainda.

Leia também

Nova cepa com falta de distanciamento é tragédia anunciada, diz infectologista

Testes ainda confirmarão se nova cepa encontrada em SP é a mais transmissível

Covid-19 sacudiu economia global em 2020

"Até agora não temos motivo para acreditar que essa mutação seja de escape. Os únicos fatos que corroboram o fato de a variante ser mais contagiosa são fatores epidemiológicos. Se percebeu que a linhagem se tornou prevalente e o aumento do número de casos sugere que essa linhagem mais transmissível pode estar colaborando para o aumento rápido de casos", afirmou Natália.

“Até agora todas as variações que apareceram são afetadas pelas vacinas; então, na prática, a nova cepa pode ajudar as pessoas a redobrar os cuidados de proteção contra a Covid-19", disse a doutora em microbiologia.

Natália Pasternak, doutora em microbiologia e presidente do Instituto Questão de
Natália Pasternak, doutora em microbiologia e presidente do Instituto Questão de Ciência (31.dec.2020)
Foto: CNN Brasil

(Publicado por Daniel Fernandes)