Diretor da OMS pede que nações ricas compartilhem vacina contra Covid-19


Gregory Lemos, da CNN
14 de janeiro de 2021 às 10:10 | Atualizado 14 de janeiro de 2021 às 10:16
Frasco com a vacina Sputnik V em clínica em Rostov-On-Don, Rússia
Frasco com a vacina Sputnik V em clínica em Rostov-On-Don, Rússia
Foto: Sergey Pivovarov/Reuters 

Enquanto o número de casos da Covid-19 continua aumentando globalmente, o doutor Mike Ryan, diretor do Programa de Emergências de Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS), pediu na quarta-feira (13) que as nações ricas ajudem a preencher a lacuna de desigualdade global da vacina.

"Existem populações que querem e precisam de vacinas que não as receberão a menos ou até que comecemos a compartilhar melhor", disse Ryan durante uma sessão virtual de perguntas e respostas. Nos 36 dias desde que os países começaram a vacinar, 28 milhões de doses da vacina foram administradas, disse ele. De acordo com Ryan, dos 54 países que estão vacinando atualmente, apenas um é considerado um país pobre.

 

"Nós realmente temos que olhar para isso em termos de equidade", disse Ryan.

Ryan acrescentou que houve 5 milhões de novos casos de Covid-19 e 85.000 mortes relacionadas ao vírus em todo o mundo na semana passada.

"Essencialmente, todas as regiões, exceto o Sudeste Asiático, estão apresentando aumentos", disse Ryan, destacando que as Américas ainda respondem por metade de todos os novos casos e 45% das mortes globalmente.

"Vimos aquela tempestade perfeita da temporada, o frio, as pessoas entrando, o aumento da mistura social e uma combinação de fatores que aumentaram a transmissão em muitos e muitos países", disse Ryan.

"É interessante quando falamos sobre tolerância, gentileza e solidariedade, que são provavelmente as contramedidas mais poderosas que temos agora", acrescentou. "Você tem que ter a atitude de que essa doença acaba comigo."

(Texto traduzido. Leia o original em inglês).