População de Manaus precisa ficar em casa pelos próximos 5 dias, diz médico

Capital amazonense enfrenta aumento da Covid-19 e falta de oxigênio para os pacientes em casos graves

Da CNN, em São Paulo
15 de janeiro de 2021 às 08:41


Epidemiologista da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Pedro Hallal disse nesta sexta-feira (15) que a população de Manaus (AM) precisa diminuir drasticamente a circulação nas ruas nos próximos dias para evitar a continuidade da disseminação da Covid-19 na cidade.

Na quinta-feira (14), o colapso do sistema de saúde da capital amazonense culminou com a falta de oxigênio para pacientes internados com a doença nos hospitais públicos. Familiares tiveram que buscar cilindro de oxigênio em unidades de saúde para ajudar pessoas hospitalizadas em estado grave.

 

"Infelizmente, a tendência é essa [de piorar a situação nos próximos dias], principalmente pela falta de oxigênio, de planejamento e pelo fato de que a circulação de pessoas ainda continua alta em Manaus", disse Hallal em entrevista à CNN

"A situação é gravíssima e recomendo à toda população de Manaus que fique em casa durante os próximos cinco dias o máximo de tempo possível. Do contrário, a tragédia será ainda maior", completou.

Manaus registrou o pior momento do combate à pandemia apenas um dia após a visita do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, à capital. Na ocasião, ele disse que o Amazonas não enfrentava a pandemia de forma isolada do governo federal.

"É lamentável ver o ministro da Saúde tentar tirar de si a responsabilidade. O Ministério da Saúde é responsável pela política de saúde no Brasil", afirmou o epidemiologista. "É de uma ingenuidade achar que a população vai acreditar que a culpa é dos outros. Não, a culpa é do Ministério da Saúde e do presidente da República, que dizia que era uma gripezinha."

 

Pacientes estão aglomerados em hospital de Manaus; no início de 2021, situação da pandemia volta a se agravar na capital amazonense
Foto: Reprodução/CNN (27.out.2020)

(Publicado por: André Rigue)