Anvisa: uso emergencial da Sputnik V só pode ser aprovado após testes no Brasil

'Quando o teste não existe, não há sentido iniciar análise de uso emergencial', disse presidente da agência, Antônio Barra Torres

Da CNN, em São Paulo
18 de janeiro de 2021 às 21:04

 

Após a aprovação do uso emergencial da vacina de Oxford/Astrazeneca e da Coronavac, o próximo imunizante na fila da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é a Sputnik V, que na última sexta-feira (15) entrou com pedido de aprovação para utilização emergencial, mas foi rejeitada pela agência. 

Em entrevista à CNN nesta segunda-feira (18), Antônio Barra Torres, presidente da Anvisa, disse que a restituição do pedido aconteceu porque os testes clínicos da Sputnik V no Brasil ainda não foram iniciados, e que o processo de aprovação poderá começar assim que iniciadas as pesquisas.

“Há a necessidade de os estudos da vacina estarem em andamento para analisar o pedido de uso emergencial. Muitas informações faltantes são respondidas com o estudo em andamento no país,” disse Barra Torres.

“Quando o teste não existe, não há sentido iniciar análise de uso emergencial, por isso houve a restituição do pedido.”

Frasco da Sputnik V, a vacina russa contra a Covid-19
Foto: Sputnik V/Divulgação

(Publicado por Daniel Fernandes)