Coronavac responde melhor com tempo maior entre doses e evita morte por Covid-19

Neurocirurgião Fernando Gomes explica como corpo reage após aplicação do imunizante da Sinovac contra a Covid-19

Da CNN, em São Paulo
19 de janeiro de 2021 às 08:41


 

No quadro Correspondente Médico desta terça-feira (19), o neurocirurgião Fernando Gomes explica se um intervalo maior entre a aplicação da primeira e a segunda dose da vacina contra a Covid-19 pode melhorar sua eficácia, como anunciado pelo laboratório Sinovac na análise dos testes da Coronavac, imunizante fabricado pelo Instituto Butantan, em São Paulo.

"Quando você dá o segundo estímulo, você reforça a produção de anticorpos e tonifica a capacidade de memória do sistema imunológico. Para saber se são duas, três ou quatro semanas, a gente precisa de pesquisa e tempo de observação. A Coronavac nesse aspecto ofereceu uma resposta melhor do ponto de vista global quando a segunda dose foi oferecida um tempo depois de duas semanas".

"Independente de 70% ou 50%, quando temos proteção de 100% contra casos graves, você protege a pessoa de morrer por coronavírus, e isso é impactante em termos de saúde pública. Por isso é tão importante essa organização e orientação das pessoas [para a vacinação no Brasil]", disse.

O neurocirurgião Fernando Gomes no quadro Correspondente Médico (19.jan.2021)
Foto: Reprodução/CNN

 

(Publicado por: André Rigue)