Em meio a tensão sobre vacina, Tereza Cristina e Fábio Faria conversam com China

Nota divulgada nas redes sociais da embaixada chinesa não menciona a questão da liberação de insumos

Rudá Moreira, da CNN em Brasília
21 de janeiro de 2021 às 11:41 | Atualizado 21 de janeiro de 2021 às 13:38

 

A Embaixada da China divulgou oficialmente nesta quinta-feira (21) que o chefe da representação diplomática chinesa no Brasil, Yang Wanming, se reuniu, ainda na quarta (20), com a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, e com Fábio Faria, ministro das Comunicações, para tratar da "cooperação em áreas relacionadas entre os dois países".

"A China está disposta a trabalhar com Brasil para estreitar a cooperação mutuamente benéfica", completa a mensagem publicada nas redes sociais.

Apesar de confirmar o as conversas - por telefone -, a nota divulgada nas redes sociais da embaixada chinesa não entra em detalhes, nem menciona a questão da liberação de insumos para a produção das vacinas de Oxford e Coronavac no Brasil, como anunciado um dia antes pelo governo brasileiro. 

A mesma nota à imprensa, divulgada na noite de quarta (20) pela a Secretaria Especial de Comunicação, que dizia que o governo brasileiro estava tratando das questões do "fornecimento de insumos farmacêuticos para produção de vacinas (IFA)", também afirmava que, naquele dia, havia sido realizada "uma conferência telefônica com participação dos ministros da Saúde, da Agricultura e das Comunicações" .

No entanto, até esta quinta (21), a Embaixada da China só havia reconhecido reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em postagem ainda na quarta (20). Na ocasião, afirmou que o assunto tratado entre o ministro brasileiro e o embaixador chinês teria sido "a cooperação de vacinas entre os dois países" e que "a China continuará unida ao Brasil para superar em conjunto os desafios colocados pela pandemia".