Butantan e governo federal só debateram falta de insumos em 19 de janeiro

O governo brasileiro não tem registrado oficialmente nenhum pedido de ajuda por parte do governo de São Paulo para auxiliar na operação diplomática com a China

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
21 de janeiro de 2021 às 21:17
Instituto Butantan afirma que não houve atraso na produção de doses 
Foto: Paulo Guereta/Agência O Dia/Estadão Conteúdo


O governo brasileiro não tem registrado oficialmente nenhum pedido de ajuda por parte do governo de São Paulo para auxiliar na operação diplomática para tentar liberar na China os insumos para fabricação no Brasil pelo Butantan da vacina Coronavac. 

Segundo fontes no Itamaraty e no Palácio do Planalto, nenhuma demanda nesse sentido foi registrada. Diplomatas dizem que tomaram conhecimento do problema no dia 17 de janeiro, em entrevista coletiva do governo paulista após a primeira vacinação.

A primeira conversa entre um representante do governo federal e do governo paulista sobre o assunto só ocorreu no dia 19 de janeiro. Nela, falaram pela primeira vez sobre a necessidade de haver gestões do governo federal junto à Sinovac para que o insumo fosse liberado.

Procurado, o governo de São Paulo afirma que mantém contato com as autoridades chinesas por meio de seu escritório na China inaugurado há seis meses.

Já o Instituto Butantan afirma que não houve atraso na produção de doses e que o cronograma previsto está sendo seguido.