Dose única é grande vantagem de vacina da Johnson & Johnson, diz infectologista

Imunizante contra Covid-19 apresentou uma eficácia de 66% na prevenção de doenças moderadas e graves

Da CNN, em São Paulo
29 de janeiro de 2021 às 16:34


Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (29), Rosana Richtmann, infectologista do Instituto Emílio Ribas, comemorou o resultado de eficácia da vacina contra o novo coronavírus da Johnson & Johnson e afirmou que o imunizante deve ser aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

“Qualquer vacina nova que chegue para nós com a perspectiva de vir para o mercado brasileiro é sempre muito bem-vinda. E essa vacina tem uma vantagem que a gente precisa valorizar demais, que é o fato de ser dose única”, disse.

A médica lembrou também que os estudos foram realizados em quase 44 mil pessoas. “Foi muita gente estudada e a vacina se mostrou segura e eficaz, principalmente para os casos mais graves, que é o que a gente quer", falou.

Outra vantagem, segundo ela, é que o imunizante foi estudado no Brasil. "Se a gente lembrar as regras da Anvisa, uma das ponderações para uso emergencial é que a vacina tenha passado pela fase 3 aqui no nosso país, e essa vacina foi estudada aqui”, explicou. Portanto, isso facilita a aprovação do uso emergencial do imunizante. 

A vacina de dose única da Johnson & Johnson apresentou uma eficácia de 66% na prevenção de doenças moderadas e graves, em um ensaio global de Fase 3 e de 85% de eficácia contra casos graves, anunciou a empresa nesta sexta.