Profissionais de saúde no Rio relatam desperdício de vacinas contra Covid-19

Prefeitura afirma que segue a recomendação da fabricante Oxford/AstraZeneca em descartar as doses depois das seis horas após a abertura do frasco

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro
29 de janeiro de 2021 às 12:08 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 17:31

 


Profissionais de Saúde do município do Rio de Janeiro denunciaram, nesta sexta-feira (29), que doses das vacinas contra Covid-19 estão sendo desperdiçadas durante o processo de imunização na cidade. 

Funcionários da rede pública de saúde do município afirmaram à CNN que a procura de pessoas do grupo prioritário com mais de 60 anos está aquém do esperado, e por isso diversas doses são jogadas fora. Depois de aberto, o frasco da vacina tem apenas seis horas de validade.

“A ordem da prefeitura do Rio é descartar todas as doses que não forem utilizadas no grupo determinado pelo calendário de imunização”, confirmou um colaborador de da Clínica da Família da Zona Oeste da capital.

 

Um funcionário do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) também relatou desperdícios de vacinas contra Covid-19.   

“O secretário de saúde [Daniel Soranz] até falou que as doses que sobrassem no frasco poderiam ser aplicadas em pessoas fora do calendário para evitar desperdício, mas na prática foi tudo diferente. Os gerentes dos hospitais me informaram que a ordem era de desprezar as vacinas sobressalentes”, afirmou a profissional de saúde.  

 

Em nota, a prefeitura afirma que segue a recomendação da fabricante Oxford/AstraZeneca em descartar as doses depois das seis horas após a abertura do frasco. E admitiu que “pode acontecer de haver menos pacientes na unidade e sobrar algumas doses no frasco”. 

Em meio aos desperdícios, o Rio de Janeiro registrou 187 mortes e 3.678 novos casos de coronavírus nesta quinta-feira (28). Até o momento, mais de 17 mil óbitos foram confirmados.